Por Carol Souza Lima, em 28/12/2010, 12:54 am

O que significa trabalhar com casamentos… 2010…


Antes de vc começar a PENSAR a ler esse post , eu vou avisar: Ele é grande. Talvez o MAIOR de todos os tempos! E tem que ser mesmo, me desculpe. É o resumo, o agradecimento e a retrospectiva de um grande ano!

Então, se vc leu ou viu as fotos dos casórios e acompanhou o blog durante esse ano de 2010, peço uns 5 min da sua atenção pra ler esse postzinho que finaliza o ano, e que foi escrito cheio de carinho e com base em todas as lembranças de um ano incrível.


Desde já, peço desculpas pelas fotos tiradas pelo Bberry que sao horrorosas, mas o scanner não cooperou e talvez ele seja o meu grande problema de 2010! =)


Todo ano é de praxe a gente escrever algo, refletir sobre o ano que passou, fazer planos e ter mil expectativas, listinhas e tudo mais pro ano que está chegando.

No meu caso, não é diferente. Com a ajuda das minhas queridas leitoras, a agenda do ano que vem está lotada de trabalho. Com algumas vaguinhas ainda, mas cheia de casórios, que serão cada um do seu jeitinho e estilo…



Sempre me perguntam como é trabalhar com noiva, que deve ser ótimo, delicioso, etc. A verdade, nua e crua, é que é um trabalho difícil, cheio de minúcias, cheio de detalhes e jogo de cintura. Cada noiva é uma cliente com expectativas pro dia que será , talvez , o mais importante da vida dela. Administrar isso tudo, conciliar filhas e mães, vontades diferentes, orçamentos, estilos e gostos de decoração, é complicadíssimo.



Mas, ai, chega o dia do evento!


E nada é mais mágico do que ESTAR LÁ, ser a primeira a chegar, aterrisar no território cru que será, daqui a poucas horas palco de 5 ou 6 horas eternas na lembrança dos noivos e , por quê não, dos convidados tb.



Montar um evento, como eu e minha equipe montamos, é coisa de doido! Colocar cada cadeira no lugar, ver cada sujeirinha, qual doce vai com qual forminha, como ficarao os bem casados dessa vez, como a noiva pediu as fotos dos porta retratos, lidar (e resolver) os imprevistos, etc, é realmente mta responsabilidade.





E a gente está sempre montando de bom humor, rindo, conversando, tratando todo mundo bem e com respeito, naquela idéia de que somos uma equipe e estamos aqui para tornar esse dia lindo para os NOIVOS e não pro meu ego ou o seu.




Mas, ai, novamente, vem a hora de receber a noiva, para a cerimônia, na Igreja ou no local da festa. O cansaço desaparece. A energia toma conta de mim, esqueço de comer, de beber, de tudo, foco naquele momento e só trabalho, e me esforço ao máximo pra dar tudo perfeito, ter o timing correto das coisas e sair tudo maravilhoso.






Nada é mais gratificante do que muitas coisas nesse mundo dos casamentos, que sim, me deixa exaurida, às vezes surtada e sem memória, cansada, mas sim, posso afirmar: feliz. E são essas coisas que eu quero lembrar hoje, como momentos marcantes de 2010, que fazem tudo sempre valer a pena, e fazem a gente se transformar em super mulheres com o único foco de sair perfeito e a noiva mais realizada.

– Um fornecedor que trabalha comigo pela primeira vez, e que ao final, vem elogiar o trabalho, como tudo saiu redondo, como foi tudo perfeito, etc.


– Alguém da foto ou do vídeo ou da luz, que trabalham sempre , semanalmente com eventos, e que chegam pessoalmente pra parabenizar pela decoração, que está linda, maravilhosa, etc.


A noiva que compra um prosecco que eu não conheço, mas que adorou e faz questão de mandar um na minha casa só pra eu provar com o meu marido, num dia especial.


– A Noiva que fica super animada pq eu vou viajar, de férias, e quer saber como foi depois, em detalhes.


– A Noiva que sabe que aquele fim de semana está sendo super pesado e que tem 1 pendênciazinha dela, mas que escreve perguntando como foram as coisas no fim de semana, se o casamento foi bom, se correu tudo bem, etc, ou antes, desejando sucesso naqueles eventos.


O noivo que ao final da festa te abraça, te dá beijinho, e te agradece milhões de vezes por tudo!








– A familía da noiva, que geralmente, sabe o meu nome, e me procura pessoalmente pra pedir alguma coisa, pra perguntar, pra elogiar, no dia da festa. Saber que a avó da noiva ou a tia sabem o meu nome e me querem bem é sinal de que a noiva me quer bem….


Receber ligações e emails da lua de mel da noiva eufórica, feliz da vida, radiante, cheios de pontos de exclamação (!!!!!!!!!!) .


– É trocar o nome do pai do noivo , super sério, e ele mesmo fazer piada disso e se encher de sorrisos pra mim durante toda a festa e as fotos. Quebrar o gelo, fazer parte daquele momento.





– É escutar de uma mãe da noiva, durante o momento de mais tensão pra gente (juntar todo mundo pra fotos, brindes, e fazer tudo rapidinho): ‘Vc trabalha sempre assim: Feliz?”


– É ver uma noiva chorar ao fim da festa pq nossa troca de emails “acabará”…. e o que será da vida dela!? (hahahaha)


- É receber carinho da noiva por email, quando te chama, espontaneamente, de Carolzinha, Carolita, Carolinha, e variáveis mil…


– É sentir o brilho no olho daquela noiva, que ao sair do carro aperta a sua mão, geladaaaa, tremendo, e no meio daquele turbilhao de emoções, ainda pede pra tirar foto com vc ou te agradece, ou sorri aquele sorriso que diz tudo, e eu às vezes, choro! (por dentro e por fora tb).


– É fazer um casamento de uma noiva, encontrar outras ex noivas que te adoram, que vem te abraçar, e vc até cuida delas, dá neosaldina, engov, abraça a mãe, o pai, e até o irmão e a avó! E tb encontrar as futuras noivas, que vêem ali o seu trabalho de perto, e admiram.








– É receber presente dps de um ano de realizado o casamento de um casal querido, com cartão e flores.




– É receber presentes após o casamentos, presentes de fim de ano de noivas que nem casaram, é receber cartão e carinho de gente que a gente se relaciona por tão pouco tempo, mas que é notório que já fazem parte das nossas vidas.





É receber aquela ligação da mãe da noiva, 6 meses dps do casamento, só pra saber como vc está!


É estar presente quando a noiva surta, 2 semanas antes, e quer chorar, quer que o dia chegue logo, que está estressada e a gente acalma, esfria a cabeça dela e mostra que está tudo perfeito e passa segurança. E no fim da festa, ela te abraça e canta com vc….


– É atender aquela ligação ou receber aquele email meses dps do casamento da noiva radiante (ou do noivo!) dizendo que AMOU o vídeo, e mandando cópia pra mim, ou links do Youtube.


– É receber elogio de convidados , que sequer te conhecem direito, elogios sinceros, gratuitos…


É chorar, aos prantos mesmo, quando vc vê aquele noivo cantando uma música que ele mesmo compôs pra noiva.




– É acalmar a família da noiva pq tem 2 padrinhos atrasados, mas que é possível atrasar um pouquinho e que tudo vai dar certo.


– É receber mensagem na madrugada da noiva e do noivo ou no dia seguinte, no seu celular, qdo vc está exaurida de cansaço, e dar aquele sorriso de gratidão pelo que ajudamos a ser realizado no dia anterior.








– É gravar em vídeo mensagem pros noivos, que são como amigos, mtas vezes, e dizer palavras sinceras, inesperadas e deixar registrado que aquele (como todos) é um casamento único, especialíssimo.

– É ter certeza que no dia seguinte não receberemos ligações de ninguém reclamando por algo grave…

É receber um montãooooooo de presentes de Natal das noivas!!!! E mtooos emails agradecendo por tudoooo , e palavras carinhosas, e lindas, via email, site, twitter e facebook !! Queridas!!


























– É receber tb um montãooooo de lembranças de fornecedores queridos e parceiros, que sem eles a gente não é nada!

É tudo isso e mto mais. Coisas que as palavras não conseguem descrever. Momentos que a gente vive ali, no dia a dia, pressão, trabalheira, correria, abdicando da vida pessoal, mas no dia do casamento, naquele momento em que vc e a noiva estão concretizando aquilo tudo é alegria, amor e mta diversão. A gente não para um minuto! Chega de madrugada em casa, exauuusta, mortinha, querendo so cair na cama. Mas só sente na hora de entrar no carro. Contando, ninguém acredita, mas é assim que funciona comigo.



Então, o que eu posso dizer de 2010? Que foi um ano incrível, cheio de energias boas, cheio de casamentos inesquecíveis, tudo isso é pouco, é fichinha e não descreve. Nosso trabalho é incansável, indescritível, e só quem acompanha e vivencia os preparativos sabe como é.



Agradeço , sempre, ao meu amado e querido marido , que me apoia demais em tudo, e está sempre do meu lado, ajudando a carregar o carro, a tirar fotos de decoração quando é possível, e que aceita , apoia e incentiva essa minha vida louca.





Agradeço tb aos meus pais e a minha irmã, que são meus maiores fãs e maiores orgulhos do mundo, amados, e por todo orgulho que eu sei que tb tem de mim.











Agradeço tb a minha querida assistente (agora ex) Fernanda, que trabalhou comigo até dia 30 de Abril de 2010 e a fiel escudeira e atual assistente Gabriela, que me atura diariamente, e por quem tenho um carinho infinito.








Agradeço a todos os fornecedores, em especial aqueles que estiveram comigo em mtas festas ao longo desse ano, como Reinaldo, Ana Paula, Junior, D. Dirce, Mateus, Lucas, Zé, Leandro, Regina, Sérgio, Cris, Fabiana, Silvio, Carlos, Jul, Carol, Fabricia, Felipe Maiato que renovou o visual do Blog e criou essa nova logo, e em breve cartão e toda papelaria… xiii é mta gente…






E a minha equipe que muda, mas só cresce de gente ótima e que ama o que faz, como eu: Gabriela (acima), minha irmã Gabriela (que tb ajuda mto!), Maíra, Danielle, Léo, Catarina, Cris, Juliana, Zaira, Ana Paula, Priscila, sei que tô esquecendo alguém, mas, agradeço a todos!


Agredeço, claro e sempre, às minhas noivas que casaram e as que tb casarão, por existirem e por confiarem em mim e no meu trabalho. E quero deixar esse espaço e o meu email , ao qual elas sabem que tem toooodo acesso do mundo, e toda atenção que eu consigo dar, para aceitar sempre críticias que nos fazem crescer sempre mais.



Obrigada (DEMAIS!) as leitoras do blog! Sem vcs, pra que ele existiria!? Obrigada mtoo mesmo, a quem passa aqui, a quem comenta (podem comentar mais) , a quem não comenta (comentem!! É GRÁTIS!), a quem passa sempre e a quem só passou uma vez ou 2, a quem indica e a quem fala bem ou mal tb!

Esse post não acaba nunca!? Acho que não, acho que não acaba, pq o novo ano recomeça e eu tenho certeza que tudo o que eu disse será ainda mais completo e melhor e mais especial.


Grande beijo pra todas e pra 2010.


Vamo que vamo pra 2011!!!



Estou de férias e esses posts, desde o dia 22 são posts que escrevi antes, pra não deixarem vcs abandonadas por aqui! Volto dia 5!! =)

Carol Souza Lima

Por Carol Souza Lima, em 26/12/2010, 6:06 am

Felicidade Realista – Mario Quintana

E, esse texto, na minha humilde opinião, é realmente o que nos faz seguir adiante. Quase sempre que lembro o releio. É uma fonte constante de inspiração e queria dividir com vcs. Quem sabe vcs não se identificam….


Mto amor e Felicidade, simples, e realista em 2011 pra todos nós!



Bjs
Carol Souza Lima


Felicidade Realista – Mario Quintana



“A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.


Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.


Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema:queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.


E quanto ao amor? Ah, o amor.. não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão.


Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.


Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.


Dinheiro é uma benção.Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo.Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda,buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.


Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato,amar sem almejar o eterno.


Olhe para o relógio: hora de acordar.


É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza,instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.


Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.


Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade…

“O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…”


Mario Quintana

Por Carol Souza Lima, em 24/12/2010, 12:33 am

Feliz Natal (pra sempre)

Organiza o Natal

(Carlos Drummond de Andrade)




“Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.



Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.



Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.



A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.



A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.



Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.



O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.



Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.



A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.



O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.



E será Natal para sempre. ”



Beijos e Feliz Natal pra Todos!!

Carol Souza Lima

Por Carol Souza Lima, em 22/12/2010, 5:01 pm

Um dia…

Não costumo, aliás, nunca escrevi nada do Gênero aqui no Blog.



Mas, nesse fim de ano que sempre tendemos a reflexões, a pensamentos sobre erros e acertos do ano que passou e expectativa e planos pro ano que está por vir, dois textos que li esse ano me marcaram e me fizeram deixá-los guardados pra esse momento. Não tem a ver com casamento, na verdade, tem mais a ver com momentos de solteirice, mas… e sempre bom pensar … e adaptar a cada caso.




Pra eu reler. E, daí, pensei, Pq não compartilhar com vcs tb!?

Beijocas!


UM DIA – Autor Desconhecido – Não é de Mario Quintana!


Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra é bobagem.


Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela….


Um dia nós percebemos que as mulheres tem instinto “caçador” e fazem qualquer homem sofrer…


Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável…


Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples…


Um dia percebemos que o comum não nos atrai…


Um dia saberemos que ser classificado como o “bonzinho” não é bom…


Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você…


Um dia saberemos a importância da frase: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas…”


Um dia percebemos que somos muito importantes para alguém, mas não damos valor a isso…


Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas aí já é tarde demais…


Enfim… um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer tudo o que tem que ser dito naquele momento.


Não existe hora certa para dizer o que sentimos se quem estiver te ouvindo não te compreender, não te merecer…


O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras…


Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.


Autor Desconhecido

Por Carol Souza Lima, em 21/12/2010, 12:25 am

Licença Pré-Casamento!

Da série de textos que escrevi há um tempo atrás… e que mta gente pode não ter lido!! Divirtam-se!




Ser noiva não é fácil. Não mesmo. OK, vamos concordar com o fato de ser uma fase ótima, de ser super gostoso, uma fase única, etc, etc, etc, etc.. só que dá trabalho!


Deveria haver na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) algum artigo que protegesse as NOIVAS. Ou seja, seria um período antes do casamento, que a noiva teria para poder ter tempo de planejar, preparar e fazer as coisas com calma. E é impossível ser noiva , trabalhar, ir ao salao para se manter linda, fazer dieta para nao ficar gorda no vestido (apesar de toda ansiedade com os preparativos), ir ao shopping, fazer compras, pensar na casa nova, nos móveis, aguentar o chefe chato, a sogra e a mãe querendo casar de novo , tudo num período de meses!!


Ser noiva é complicado e é uma funçao que só as mulheres podem exercer. De um universo de homens, pouquíssimos conseguem (ou sobrevivem). Não sei se é pela repetiçao do assunto por muito tempo a fio, ou se pela riqueza de detalhes ou se pela enorme quantidade de decisões (aparentemente inúteis e irrelevantes) a serem tomadas em pouco tempo… a verdade é que o mundo dos casamentos foi feito, basicamente, para as noivas (leia-se: sexo feminino).


Elas sofrem. Sofrem mesmo. Pensam em cada detalhe. Visualizam a toalha daquela cor com a flor da outra, a forminha com o doce, a letra do texto do convite com o estilo do envelope, o modelo do bolo, a localizaçao exata das flores que estarão no bolo, o preço de tudo (extorsivamente altos!), noites em claro por conta dos preços extorsivos, a cor da fita dos bem casados, a lembrança que será dada aos padrinhos, a festinha do chá de panela, a bebida do open bar, a música que eles vão dançar, e por ai vai… é uma lista aparentemente interminável, de tão minuciosa e milimetricamente preparada.


Ser noiva junto com trabalho é quase a beira da demissão. O dia inteiro, na frente do computador, é revezado entre documentos do Word, planilhas de excel e blogs, sites e orkuts relacionados ao tema mais delicioso do mundo: casamento.


No segundo em que vc pensa se na frase que vc está escrevendo naquela carta, no trabalho , precisa ou não de crase no “A” , seu pensamento é levado diretamente para os arranjos de mesa e a palheta de cores possíveis e quase infinita para a sua tão sonhada decoração. É quase como uma abdução extraterrestre. E quando vc volta, se passou mais meia hora, sem produçao…


É nesse mundo de muitos problemas, trabalho, desafios, cansaço e malabarismos, fazendo do limão uma limonada, tornando as 24 horas do dia parecerem 56, que as noivas se dividem até o dia do casamento. Saem mortas do trabalho às 19h e vão direto para outro escritório: o do fotógrafo, do vídeo, do DJ, e por ai vai, numa sequencia aparentemente interminável de gastos, stress, e um turbilhao de incertezas.


Algumas vezes, ela até tenta desabafar com o noivo. Ou tentam dividir a responsabilidade na hora de tomar uma decisão muito importante (leia-se : de vida ou morte) naquela momento.


Algumas vezes, o diálogo é mais ou menos assim:


- Amor, estava aqui pensando na cor da decoraçao da festa. – diz a noiva, como se ela não estivesse se consumindo com esse assunto há meses. Soa como se ela tivesse pensado sobre isso naquele momento, do nada, pela primeira vez….).

- Hum… e ai? – Diz o noivo

- O que vc acha de amarelo com laranja?

- Cruzes! Acho esquisito. Nada a ver.


Mal sabe ele que 3 meses de buscas, pesquisas de fotos, noites sem dormir, mtoooos emails trocados com amigas, pesquisa de flores do tom laranja terroso com amarelo chá, e qual a época de cada espécie de flor nesse tom existetes no planeta, acabam de ser jogados por terra, totalmente desconsiderados.


- Mas, entao, me diz o que vc gosta. – Diz a noiva, tentando continuar o diálogo.

- Ah, não sei. Qualquer cor. Escolhe vc, amor.

Os noivos não entendem que não é assim. Ele simplesmente detruiu tudo o que ela pensou, em meses, e que teve coragem de falar naquele segundo totalmente programado. E , ao mesmo tempo, não ofereceu nenhuma outra soluçao. Arruinou tudo, sem piedade (e sem consciencia tb, coitado!) , e nada além, nem uma luz para a desesperada da noiva.


Daí, começam (ou recomeçam) as brigas… e horas e horas de reclamaçao que o noivo nao participa, que nao quer saber de nada, que nao tá nem aí.. blábláblá


E isso tudo se repete em ciclos de algumas semanas ….


Por isso, termino com o pensamento do começo. A CLT deveria dar uma brecha, uma folga, para as coitadas das noivas (mulheres modernas, trabalhadores e que pagam sua própria festa em alguns casos) nesse período. Defenderia um período como a licença maternidade , de 4 a 6 meses, de afastamento do trabalho, nem que seja meio período ou 2 vezes na semana, para os afazeres casamentícios…. remunerados, claro!!!



Licença pré – casamento, já!



Comentários são mto benvindos!


Bjs
Carol Souza Lima